Sâmia Bomfim

Economia

Economia

O Brasil vive uma das piores crises econômicas da sua história. Paulo Guedes, antigo representante do capitalismo autoritário e desalmado, vê nisso a oportunidade para lucrar com o corte de direitos, entrega do patrimônio público e sucateamento dos serviços públicos. A batalha em torno da Reforma da Previdência é central para barrar esse cataclismo. A economia brasileira deve romper com sua longa tradição de dependência e favorecimento ao rentismo. Defendemos um programa baseado na justiça e igualdade: o socialismo!

Programa que Sâmia defendeu na eleição

Nos últimos anos, desenvolve-se no Brasil uma crise econômica sem precedentes, relacionada às graves contradições do capitalismo global. Como consequência, milhões de famílias brasileiras enfrentam o sofrimento do desemprego, do endividamento, da perda do poder de compra, da falta de perspectivas e da piora dos serviços públicos.

Uma crise deste tamanho não se improvisa: ela é fruto dos interesses dos grandes capitalistas que controlam a economia e das escolhas dos partidos que tem governado o Brasil nos últimos anos: o PT, o MDB, o PSDB e o “centrão”.

A saída que todos eles têm defendido é a mesma: teto de gastos, cortes na saúde, educação, cultura e segurança. A burguesia aposta na reforma trabalhista para retirar direitos, no aumento do desemprego para pressionar os salários dos trabalhadores, na reforma da previdência e nos ataques ao funcionalismo público. Tudo para remunerar os credores internacionais, grandes bancos e fundos de investimento que lucram com a crise.

Na Câmara, nosso mandato vai defender a auditoria da dívida pública para mostrar quem leva a maior parte dos recursos do orçamento federal. Vamos estimular a mobilização popular para inverter as prioridades do orçamento e da nossa economia. Vamos lutar pelo cancelamento das dívidas ilegais e pela reestruturação da dívida, preservando os pequenos poupadores. Também defenderemos a revogação da lei do teto de gastos, da Lei de Responsabilidade Fiscal e da Desvinculação de Receitas da União, mecanismos que servem para tirar recursos dos serviços públicos e entregá-los para banqueiros e especuladores! Vamos lutar pela revogação da reforma trabalhista e combater as propostas de reforma da previdência!

Nosso mandato também vai defender a soberania e a independência nacionais. É preciso terminar com a entrega do petróleo, reverter o desmonte da Petrobrás e a entrega do pré-sal. Vamos lutar para barrar a entrega da Embraer para a Boeing, a privatização da Eletrobrás e do patrimônio público.

Chega de espremer o povo e os trabalhadores! Vamos lutar para que os milionários e os empresários paguem essa conta! Nosso mandato vai defender propostas de taxação de heranças, grandes fortunas, lucros e dividendos. E vamos lutar para diminuir os impostos para os trabalhadores e a classe média.

Na Câmara, seremos a pedra no sapato dos bilionários e corruptos! Vamos lutar pela expropriação das empresas envolvidas em corrupção, como a Odebrecht e a JBS, e em escândalos ambientais, como a Samarco e a Vale. Nossa luta é por outra sociedade e um modelo econômico, justo, igualitário e radicalmente democrático: uma sociedade socialista!

O que Sâmia defende na Câmara Federal

  • Auditoria da dívida pública com cancelamento das dívidas ilegais e reestruturação da dívida, preservando pequenos poupadores.
  • Revogação da Emenda Constitucional do Teto de Gastos (EC 95).
  • Taxação de grandes fortunas e grandes heranças.
  • Taxação de lucros e dividendos.
  • Redução dos impostos sobre bens de consumo e serviços básicos.
  • Revogação da “Lei de Responsabilidade Fiscal”.
  • Pelo fim da Desvinculação de Receitas da União (DRU).
  • Revogação da Reforma Trabalhista.
  • Não à Reforma da Previdência.
  • Expropriação de empresas envolvidas em corrupção, como Odebrecht e Friboi.
  • Expropriação de empresas envolvidas em escândalos ambientais, como Samarco e Vale.
  • Não às privatizações!

O que Sâmia fez na Câmara Municipal de São Paulo

  • Criou a Frente Parlamentar contra o SampaPrev. Junto com os servidores, derrotou este projeto de Dória.
  • Aprovou emenda à LDO que obriga a contratação de servidores públicos aprovados em concurso.
  • Ajuizou Mandados de Segurança Parlamentar contra a tramitação dos projetos de lei do SampaPrev e do PL das Privatizações de João Dória.
  • Denunciou ao MP a não convocação de concursados pela Secretaria da Educação.
  • Protocolou representação no Tribunal de Contas de São Paulo apontando as irregularidades do edital de licitação do sistema de transporte coletivo, o que colaborou na suspensão do edital pelo TCM.
  • Denunciou no MP o Secretário de Assistência Social de São Paulo, Felipe Sabará, por irregularidades na criação de Centro Temporário de Acolhimento (CTA) na região do Brás.
  • Denunciou no MP João Dória e Geraldo Alckmin por improbidade administrativa por terem dado incentivos fiscais a empresas farmacêuticas em troca de “doação” de remédios vencidos.
  • Denunciou João Dória no Ministério Público do Trabalho por assédio moral aos servidores de São Paulo à época da Greve Geral de 2017.
  • Denunciou no MP e na corregedoria da Câmara o vereador Fernando Holiday, do MBL, por abuso de autoridade ao invadir escolas municipais e intimidar professores pelos conteúdos tratados em sala de aula.
  • Ajuizou uma ação judicial contra a privatização das linhas 5 e 17 do Metrô por Geraldo Alckmin, que levou a suspensão temporária do leilão.
  • Atuou como parte assistente na Ação Popular ajuizada contra o aumento dos salários dos vereadores, em 2017.