Sâmia Bomfim

Relações internacionais

Relações internacionais

O caráter dependente do Estado brasileiro frente o capitalismo global é a origem de boa parte dos problemas do nosso País. É preciso defender nossa soberania assim como prestar solidariedade a todos os povos que lutam por sua liberdade, construindo a solidariedade dos oprimidos. O Governo Bolsonaro, apesar do palavreado ufanista, põe-se absolutamente de joelhos diante dos Estados Unidos e Israel oferecendo garantias sem qualquer contrapartida e excluindo relações diplomáticas com quaisquer outras nações, as quais acusa de “globalismo marxista”, dentre outras teorias da conspiração absolutamente estúpidas. O apoio internacional para resistir às constantes violações aos direitos humanos ocorridas no Brasil é fundamental para resistir a esse governo.

Programa que Sâmia defendeu na eleição

O aprofundamento da crise do capitalismo global continua a piorar as mais graves questões humanitárias deste século. Enquanto os diferentes governos buscam aplicar de uma forma ou de outra planos de austeridade, feitos sob encomenda pelas grandes corporações, as populações sofrem com o aumento da precariedade, a intensificação dos conflitos militares e a massificação da fome. Os desesperados fluxos migratórios em busca de sobrevivência abrem brechas para os conservadores e protofascistas estimularem a xenofobia e o racismo nos países centrais.

Neste sentido, nunca antes em nossa história republicana, a diplomacia de nosso país teve tão pouca relevância no cenário internacional. O desmonte social e econômico pelo qual vem passando o Brasil nos últimos anos se reflete na perda de nosso status geopolítico. A falta de legitimidade interna do atual governo, atolado em corrupção e impopularidade, o torna mero despachante dos interesses da Casa Branca na América do Sul. É preciso dizer um basta para tanta subserviência e reafirmar nossa soberania!

Os problemas mais graves do mundo hoje em dia extrapolam as fronteiras dos Estados-nação porque são uma consequência da desordem sistemática da atual fase do capitalismo. Por isso nosso mandato terá um claro perfil internacionalista, promovendo a mais convicta solidariedade entre os países e reafirmando o direito da autodeterminação dos povos. Nos enxergamos como parte ativa dos novos processos políticos e sociais que buscam organizar a indignação dos explorados e oprimidos deste momento histórico. Assim, apoiaremos todas as medidas de combate aos imperialismos em suas diferentes manifestações e defenderemos o rompimento de relações diplomáticas com países que violem sistematicamente as leis internacionais e o direito à independência e à liberdade. Ao mesmo tempo, seremos os maiores entusiastas de uma verdadeira integração latino-americana, com bases solidárias e cooperativas, bem como lutaremos para que a sociedade civil tenha cada vez mais participação nas decisões tomadas pelo Itamaraty.

O que Sâmia defende na Câmara Federal

  • Rechaço ao programa xenofóbico de Trump, defendendo os brasileiros e latino-americanos que forem alvos de sua perseguição.
  • Defesa da integração regional latino-americana nos níveis econômico, político, social e cultural, buscando o enfrentamento conjunto dos problemas que são comuns a nós, como a dívida externa e interna.
  • Defesa incondicional da autodeterminação dos povos, com apoio à formação de estados nacionais autônomos e à secessão e à integração de territórios, desde que seja a vontade livre e soberana dos povos.
  • Solidariedade aos povos em luta contra o imperialismo e contra os regimes ditatoriais que massacram suas populações quando estas vão para as ruas em busca de liberdade e democracia.
  • Ações que visem maximizar a pressão econômica e o boicote a todos os Estados que promovam a violência e agridam o direito à autodeterminação dos povos. Imediata revogação dos acordos de cooperação militar com esses países, como é o caso do Estado de Israel.
  • Defesa da solução pacífica dos conflitos, respeitando o princípio da não-intervenção. Fim da participação brasileira em qualquer operação militar intervencionista e o fim de exercícios militares conjuntos com países que não respeitem este princípio.
  • Concessão de asilo aos perseguidos políticos de qualquer nacionalidade, com destaque para o oferecimento de asilo para Edward Snowden e Julian Assange.
  • Acolhimento a todos os refugiados: garantia de seus direitos humanos e sociais, formação em língua portuguesa, acesso à documentação e ao emprego.

O que Sâmia fez na Câmara Municipal de São Paulo

  • Pautou a necessidade de acolhimento aos refugiados na Comissão de Direitos Humanos na Câmara.
  • Prestou solidariedade à sul-africana Nduduzo Godensia Dlamini contra sua extradição.
  • Prestou solidariedade à comunidade palestina do Al Janiah.
  • Denunciou os massacres do Estado de Israel no plenário.
  • Encaminhou requerimento de informação para a subprefeitura da Sé sobre a expulsão de comerciante palestino daquela região.