Governo Bolsonaro gasta R$ 136 mil em almoço com Elon Musk

Valor foi apresentado após requerimento de informações da bancada do PSOL na Câmara ao Ministério das Comunicações e não inclui gastos da comitiva presidencial

5 jul 2022, 20:33 Tempo de leitura: 1 minuto, 45 segundos
Governo Bolsonaro gasta R$ 136 mil em almoço com Elon Musk

Fonte:

Elon Musk veio ao Brasil em maio deste ano para participar do evento “Conecta Amazônia” e promover o suposto  lançamento de serviço de internet por satélite Starlink no país. Um encontro repentino, fora da agenda presidencial, com Jair Bolsonaro, membros do governo e de empresários aconteceu em São Paulo.

O empresário disse pelas suas redes que a iniciativa forneceria conexão para 19 mil escolas em áreas rurais no Brasil e auxiliar no monitoramento da Amazônia. O Ministério das Comunicações afirmou que a implementação do programa começaria ainda neste ano.

O ministério divulgou à época que a parceria para satélites de baixa órbita não dependia de licitação e poderia ser fechada por meio de um processo administrativo na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). A SpaceX recebeu a autorização da reguladora em janeiro deste ano.

Os parlamentares do PSOL, então, enviaram um requerimento ao Ministério das Comunicações posto que a pasta não foi transparente e tentou esconder a reunião e a parceria com Musk antes que ela fosse concretizada.

Dentre os questionamentos da bancada, estava o valor gasto para a recepção do milionário no hotel Fasano Boa Vista, no interior de São Paulo. O valor informado foi de R$ 136.055,25. O montante não inclui as despesas totais de todos os representantes do governo que compareceram ao encontro.

Ainda na resposta ao requerimento de informação, o ministério diz que a autorização para a implementação da rede e lançamento de satélites é feita pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), e que cabe à administração do país de origem cumprir os procedimentos regulatórios estabelecidos.

Respondendo às perguntas feitas pela bancada, a pasta assume, por diversas vezes, que não houve contratação do Starlink.

Ou seja, se não há contratação do Starlink, não há nenhum programa sendo implementado, ao contrário do que foi propagandeado por Musk e Bolsonaro, após o encontro.

[Foto/imagem: Reprodução redes sociais]