PSOL quer impedir reajuste de mais de 12% na energia em São Paulo

Para bancada paulista, decisão da Aneel “representa intolerável elevação da vulnerabilidade social em um momento econômico crítico.”

5 jul 2022, 20:29 Tempo de leitura: 0 minutos, 49 segundos
PSOL quer impedir reajuste de mais de 12% na energia em São Paulo

Fonte:

A bancada do PSOL protocolou projeto para sustar o reajuste da energia elétrica em São Paulo, autorizado hoje pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O efeito médio é de 12,04% para os consumidores, sendo 18,03% para os consumidores em alta tensão e 10,15% para os consumidores em baixa tensão. O reajuste passa a vigorar a partir de 4 de julho e atingirá cerca de 7,6 milhões de unidades consumidoras no estado de São Paulo.

Para a líder da bancada, a deputada paulista Sâmia Bomfim, o reajuste é abusivo. “A gente vive uma crise econômica e social profundas, com aumento da população em situação de rua e milhões com restrição alimentar em função da hiperinflação dos alimentos. Agora, vem um aumento abusivo nas contas de luz; é insustentável para a maioria das famílias paulistas. É fundamental que o Congresso atue para reverter esse absurdo que não cabe no bolso das famílias”.