Sâmia Bomfim

  • Segurança pública

80 tiros: não há engano, há necropolítica

Ao efetuar 80 disparos contra o carro de uma família negra, o Exército deixa claro a cultura de extermínio do Estado.

Aconteceu de novo. Mais um homem negro foi vítima do Estado. No último domingo, o músico e segurança Evaldo dos Santos Rosa foi assassinado pelo Exército após ter seu carro alvejado por 80 tiros, disparados por militares que atuavam na Estrada do Camboatá, no bairro de Guadalupe, no Rio de Janeiro.

Evaldo era um homem negro e estava levando sua família para um chá de bebê de uma amiga. Após ser baleado, ele ainda conseguiu virar o carro para proteger seu filho de 7 anos de idade, sua esposa e seu sogro. Os militares não prestaram socorro.

O delegado que assumiu a investigação afirmou que os militares, muito provavelmente, fuzilaram o carro por engano. Quem dispara 80 tiros por engano?

O assassinato de Evaldo trouxe à tona a discussão sobre a aprovação da lei, no governo Temer, que concede às Forças Armadas o direito de julgarem casos de crimes dolosos cometidos por oficiais. É claro que devemos discutir o foro privilegiado dos militares e exigir que tais crimes não fiquem impunes.

No entanto é mais urgente entender, de uma vez por todas, que fuzilamentos como esse não têm nada de engano, muito pelo contrário. A população negra deste País vem sendo exterminada historicamente.

Ao disparar tiros contra as pessoas negras, o Estado brasileiro mostra sua face assassina, ancorada num regime racista, que determina quais grupos merecem viver e quais devem morrer. É preciso se opor a essa lógica de extermínio da população negra. Não dá mais para tantas vidas serem interrompidas dessa forma.

Diga NÃO
à Reforma da Previdência

A reforma da previdência está tramitando na Câmara Federal e só a pressão do povo organizado será capaz de derrotar o projeto. Queremos espalhar essa luta por todo o estado de São Paulo. Assine o abaixo-assinado, abra um comitê doméstico contra a reforma da previdência e junte-se a nós nessa importante batalha em defesa dos direitos do povo brasileiro.

0 assinaturas
0 comitês
0 cidades
Quero participar

Conheça a deputada
Sâmia Bomfim

Sâmia Bomfim tem 29 anos, foi vereadora de São Paulo e, atualmente, é deputada federal pelo PSOL. Elegeu-se com 250 mil votos, sendo a mais votada do partido e a oitava mais votada de todo o estado de São Paulo. Seu mandato jovem e feminista levanta bandeiras que a maioria dos políticos não tem coragem de levantar. Ela é linha de frente no enfrentamento do conservadorismo e na oposição aos desmandos do governo Bolsonaro, defendendo sempre a maioria do povo.

Nossas bandeiras
na Câmara Federal

  • Lutar para ampliar e garantir os direitos das mulheres.
  • Lutar contra a reforma da previdência e a retirada de direitos dos trabalhadores.
  • Defender a educação pública e os professores.

Ler mais