Sâmia Bomfim

  • Saúde

“Antídoto” para o autismo é vendido livremente na internet. Cadê a ANVISA?

Solução à base de dióxido de cloro é vendida como terapia caseira antiautismo; Sâmia Bomfim exige explicações da ANVISA.

Circula nas redes sociais e em fóruns da internet a mentira de que uma substância à base de dióxido de cloro cura autismo. Isso por si só já é um absurdo, mas há um agravante: é muito fácil comprar a substância pela internet.

Conhecido nas redes sociais como MMS – sigla em inglês para solução mineral milagrosa, o produto ganhou fama após Jim Humble, que afirma ser um alienígena da galáxia de Andrômeda, escrever um livro para elencar os poderes de cura da substância para o autismo e outras condições/doenças como Alzheimer, hipotireoidismo, hemorroidas, hepatite, HIV / AIDS entre outros.

Só que não há nenhuma base científica nisso, muito pelo contrário. De acordo com a Food Standards Agency do Reino Unido, o MMS é uma solução composta por 28% de hipoclorito de sódio, quantidade equivalente à utilizada em desinfetantes.

O MMS é proibido no Canadá, e a comercialização dele, aqui no Brasil, é proibida desde junho de 2018, mas a determinação não está sendo cumprida. É por isso que a deputada Sâmia Bomfim exigiu explicações à ANVISA. Não é possível que o órgão falhe tanto em fiscalizar a compra e venda desse item.

Para ter uma ideia da gravidade: muita gente – sobretudo famílias desesperadas que acabaram de receber o diagnóstico de autismo de uma criança – tem comprado o MMS para ingerir por via oral ou anal. Só que esse produto ao ser ingerido pode causar náusea, vômito, diarreia, desidratação e queda da pressão sanguínea. E com o tempo ele é capaz de de corroer os órgãos internos.

Até há relatos e imagens, nas redes sociais, de pessoas que estão expelindo pedaços da mucosa intestinal depois de usar o MMS por muito tempo. Só que os charlatões que vendem ou propagam a venda do MMS afirma que esses pedaços do intestino expelidos são, na verdade, os vermes causadores do autismo. Há, também, inúmeras páginas e grupos dedicados a usar o MMS, inclusive em bebês.

Por outro lado, há muitos ativistas sérios e comprometidos com a causa que procuraram a deputada Sâmia para intervir junto à ANVISA. Dentre eles, está a Andréa Werner, jornalista, ativista e mãe de um menino autista. “Pais de crianças que acabaram de receber o diagnóstico de autismo são presas fáceis pra charlatões. E há muitos enriquecendo com base no desespero dos pais, na pouca informação, e da frouxidão na fiscalização”, afirma relata Andréa, que faz campanha no Twitter contra os perigos do MMS.

É preciso acabar e banir a comercialização desse produto. Muitas famílias com pessoas autistas já sofrem muito com o preconceito e a desinformação e não podem ficar à mercê de charlatões. É urgente que o Estado brasileiro tome providências.

Comitês domésticos
contra a Reforma da Previdência

A reforma da previdência está tramitando no Câmara Federal e só a pressão do povo organizado será capaz de derrotar o projeto. Queremos espalhar essa luta por todo o estado de São Paulo. Abra um comitê doméstico contra a reforma da previdência e junte-se a nós nessa importante batalha em defesa dos direitos do povo brasileiro. Entraremos em contato com você para enviar materiais e informações.

0 comitês
0 cidades
Cadastre sua casa

Conheça a deputada
Sâmia Bomfim

Sâmia Bomfim tem 29 anos, foi vereadora de São Paulo e, atualmente, é deputada federal pelo PSOL. Elegeu-se com 250 mil votos, sendo a mais votada do partido e a oitava mais votada de todo o estado de São Paulo. Seu mandato jovem e feminista levanta bandeiras que a maioria dos políticos não tem coragem de levantar. Ela é linha de frente no enfrentamento do conservadorismo e na oposição aos desmandos do governo Bolsonaro, defendendo sempre a maioria do povo.

Nossas bandeiras
na Câmara Federal

  • Lutar para ampliar e garantir os direitos das mulheres.
  • Lutar contra a reforma da previdência e a retirada de direitos dos trabalhadores.
  • Defender a educação pública e os professores.

Ler mais