Sâmia Bomfim

  • Mulheres

Coronelismo político em Vinhedo (SP) persegue professora e reforça a cultura de violência contra a mulher

Nosso mandato recebeu informações sobre uma perseguição política em curso contra uma professora da cidade de Vinhedo (SP), configurando mais um caso grave de tentativa de intimidação do trabalho docente.

Reproduzimos abaixo texto elaborado por colegas da professora Virgínia, que tem sofrido tais perseguições e a quem nos solidarizamos:

É quase inacreditável que diante de toda a visibilidade em relação ao problema da violência contra a mulher, uma professora seja processada por conscientizar estudantes sobre os direitos das mulheres.

Pois essa situação esdrúxula está acontecendo em Vinhedo, no interior de São Paulo. O prefeito Jaime Cruz (PSDB) abriu um processo disciplinar contra a educadora Virginia Baldan, que atua há 20 anos na rede municipal de ensino e tem reconhecido compromisso com a educação pública e com a luta pelos direitos das mulheres.

Para agradar setores retrógrados que se sentem ameaçados pelo fortalecimento da luta feminista, o governo Jaime Cruz ignora os princípios da LDB e as diretrizes para o combate à violência contra a mulher previstas na Lei Maria da Penha e na própria Lei Orgânica do Município. Atitude lamentável, ainda mais quando consideramos que é endossada por profissionais da educação, como o secretário municipal da pasta e a supervisora de ensino que “pediu a cabeça” da professora. O machismo, a censura e o assédio moral se combinaram de uma forma vergonhosa em Vinhedo.

Nossos sonhos e nossa dignidade são muito maiores que a ignorância e a covardia desses governos que atacam os direitos das mulheres e de todo o povo brasileiro.

Nossa solidariedade à professora Virginia. Seguimos juntas na luta!

Este é o podcast da Sâmia Bomfim, deputada federal pelo PSOL/SP. Aqui conversamos sobre os principais acontecimentos do Brasil e do mundo.

Conheça a deputada
Sâmia Bomfim

Sâmia Bomfim tem 29 anos, foi vereadora de São Paulo e, atualmente, é deputada federal pelo PSOL. Elegeu-se com 250 mil votos, sendo a mais votada do partido e a oitava mais votada de todo o estado de São Paulo. Seu mandato jovem e feminista levanta bandeiras que a maioria dos políticos não tem coragem de levantar. Ela é linha de frente no enfrentamento do conservadorismo e na oposição aos desmandos do governo Bolsonaro, defendendo sempre a maioria do povo.

Nossas bandeiras
na Câmara Federal

  • Lutar para ampliar e garantir os direitos das mulheres.
  • Lutar contra a reforma da previdência e a retirada de direitos dos trabalhadores.
  • Defender a educação pública e os professores.

Ler mais