Banquetaço contra a Ração Humana de Doria

Por Joyce Godinho, nutricionista formada pela USP e militante do Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL)

Ontem, 16, o dia foi marcado por um forte ato da sociedade civil, que pautou a questão da alimentação na cidade de São Paulo. Às 12h, em frente ao Teatro Municipal, diversos chefes de cozinha e movimentos ligados a agroecologia realizaram um "banquetaço", isto é, um almoço coletivo feito com alimentos bons para o consumo, mas que seriam descartados. Essa articulação teve como intuito mostrar como esses alimentos podem ser direcionados para a produção de refeições completas e saborosas. 

Diante da pressão expressiva da sociedade civil, o prefeito João Dória se viu obrigado a recuar inúmeras vezes no seu projeto 'Alimento para Todos', que previa a distribuição do Allimento, melhor conhecido como farinata ou ração humana. Primeiro disse que o produto seria destinado para a população mais vulnerável. Em seguida alegou que a 'ração humana' também incorporaria as merendas escolares. Depois, que somente se destinaria à população em situação de rua. Agora parece ter desistido desse projeto escandaloso.

Horas antes do banquetaço acontecer, o secretário de educação, Alexandre Schneider, convocou uma coletiva de imprensa para divulgar o projeto 'Alimento Saudável', o mais curioso é que ninguém sabia do que se tratava esse projeto. A coletiva serviu para divulgar a ampliação da compra de produtos fornecidos pela agricultura familiar e orgânicos para a merenda escolar da rede municipal de ensino, e também nela o prefeito alegou que desistiu de uma vez da farinata. É de grande felicidade que a alimentação escolar esteja recebendo alimentos orgânicos e da agricultura familiar

O Banquetaço acontece como exemplo de ofensiva do movimento, a conquista que representa os recuos de Doria é resultado da luta em defesa da alimentação de qualidade; porém a Lei n° 16.704/2017, que garante a possibilidade da farinata ser distribuída de alguma forma na cidade de São Paulo, não só continua em vigor, como o projeto segue sendo discutido em diversas câmaras do país e no Senado Federal. Está acontecendo um verdadeiro desmonte do setor de agricultura e segurança alimentar, inclusive são várias as denuncias de que a equipe técnica que dá suporte para a produção dos pequenos agricultores está sendo exonerada. 

Além disso, a orçamento destinado à ampliação e reforma das unidades e projetos de abastecimento e segurança alimentar segue congelado. Para 2018, por exemplo, o orçamento previsto para investimento em "Projetos de Abastecimento e Segurança Alimentar" terá uma redução de incríveis 92%

O Banquetaço atua em defesa do direito a alimentação, mas também exige a revogação da Lei 16.704/2017, recuperação do orçamento e a aplicação do Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional.

A política de segurança alimentar na cidade de São Paulo precisa ser prioridade para o Poder Público, caso contrário estaremos contribuindo para ampliar as desigualdades sociais e a violação de direitos da população. O povo precisa ser escutado, hoje o Banquetaço foi uma demonstração de que a sociedade civil organizada e mobilizada tem muito a contribuir e mudar a história. 

Outras notícias