Sâmia Bomfim

  • política
  • PSOL

Minha opinião sobre a vinda de Boulos para o PSOL

A vinda de Boulos ao PSOL e sua disposição de disputar as eleições são fatos positivos, mas a democracia interna do partido não pode ser deixada de lado.

Ato de filiação de Guilherme Boulos ao PSOL na Fundação Lauro Campos, em São Paulo - Suamy Beydoun/AGIF


Guilherme Boulos se filiou ao PSOL. Sem dúvida é uma conquista para o partido, que pode crescer muito socialmente com a aproximação com o MTST. Boulos é um grande líder do principal movimento social da atualidade, ousou organizar o precariado num momento de duros ataques, fez ocupações, ações amplas e radicalizadas, sendo o governo do PT ou o ilegítimo do PMDB. Não é segredo para ninguém que ele será o candidato a presidência do PSOL e isso será uma experiência importante.

O entusiasmo com sua filiação, porém, é atrapalhado pela forma como o processo está sendo conduzido. E a forma está a serviço de um conteúdo político. O debate interno entre a militância, as correntes, os pré-candidatos, é fundamental para que haja maior engajamento na campanha eleitoral e para que o programa expresso seja fruto da diversidade de posições. Não só isso: a democracia dentro do PSOL é imprescindível para que o partido cresça e se torne uma alternativa política no Brasil.

Com dirigentes passando o trator, perde Boulos e perde o PSOL. Mas é importante dizer com tranquilidade que a entrada do Boulos e sua candidatura não inaugura o autoritarismo no partido. Infelizmente sua entrada é instrumentalizada por alguns dirigentes para impor um isolamento artificial de alguns setores do partido. Utilizam o carisma e a empolgação com a chapa Boulos Guajajara para seguir a marcha do aparelhamento, burocracia e encastelamento em cargos.

O conteúdo político desse processo também gera saudável desconfiança. Boa parte da militância, por exemplo, ficou desconfortável com o vídeo de Lula dizendo que vai ao palanque do Boulos. Por que ele faria isso agora, se há poucos meses nos chamou de "partido frescurento"? Se sempre repudiou nosso partido e militância? Seu apoio (ou provocação) gera um sentimento de desconfiança de que a campanha do PSOL pode não vocalizar o acúmulo de anos de construção. Também gera debate as falas que Boulos faz como pré candidato. Faltam pontos que correspondem ao DNA do programa do partido. Isso pode ser disputado, construído e lapidado, tenho certeza. Mas se está sendo construída sem contar com a militância do partido, a desconfiança é justa e totalmente cabível. Temos todos a avaliação de que é preciso superar a experiência lulista? De que traição aos trabalhadores é projeto e estratégia e não erros ou equívocos? De que o PSOL é um projeto de construção de alternativa política para o país?

Sem o apreço pela democracia interna, sobram desconfianças e denúncias e perde-se a oportunidade de viver este novo momento em sua máxima potência.

Diga NÃO
à Reforma da Previdência

A reforma da previdência está tramitando na Câmara Federal e só a pressão do povo organizado será capaz de derrotar o projeto. Queremos espalhar essa luta por todo o estado de São Paulo. Assine o abaixo-assinado, abra um comitê doméstico contra a reforma da previdência e junte-se a nós nessa importante batalha em defesa dos direitos do povo brasileiro.

0 assinaturas
0 comitês
0 cidades
Quero participar

Conheça a deputada
Sâmia Bomfim

Sâmia Bomfim tem 29 anos, foi vereadora de São Paulo e, atualmente, é deputada federal pelo PSOL. Elegeu-se com 250 mil votos, sendo a mais votada do partido e a oitava mais votada de todo o estado de São Paulo. Seu mandato jovem e feminista levanta bandeiras que a maioria dos políticos não tem coragem de levantar. Ela é linha de frente no enfrentamento do conservadorismo e na oposição aos desmandos do governo Bolsonaro, defendendo sempre a maioria do povo.

Nossas bandeiras
na Câmara Federal

  • Lutar para ampliar e garantir os direitos das mulheres.
  • Lutar contra a reforma da previdência e a retirada de direitos dos trabalhadores.
  • Defender a educação pública e os professores.

Ler mais