Portaria 7663/17 e a realidade da rede municipal de ensino!

Abaixo, explicamos em 5 pontos como Portaria 7663/17 afeta a vida de estudantes e professores da rede municipal de ensino. Esse ato da Secretaria de Educação explicita o completo descompromisso da gestão Doria com a educação pública de qualidade. Lutaremos pela REVOGAÇÃO TOTAL da medida!

1. O secretário municipal publicou na sua rede social que a portaria 7663/17 teve como objetivo adequar as vagas a realidade da rede. A realidade da rede é que faltam professores. Muitas crianças e adolescentes sem aulas todos os dias, pois não há professores na rede municipal. Então, para resolver o problema, a secretaria diminuiu o módulo de professores para a "conta" fechar. A realidade da rede é que se houvesse compromisso com a qualidade da escola pública seria publicada uma portaria pela ampliação do módulo de professores;

2. A publicação pontua que chamaram professores, nove mil. Não cumpriram mais do que a obrigação constitucional. Chamaram primeiramente, pois a última administração realizou os concursos. Depois, só chamaram porque houve mobilização social. Aliás a primeira ação desse governo foi no sentido de abrir contratos, e não chamar os concursados.

3. Também aponta que não haverá demissão de professores, e que o objetivo é aterrorizar os profissionais ou gerar polêmica. Primeiramente, houve sim demissões de professores contratados e ainda ocorrerão outras, sem que os professores concursados tenham assumido, deixando novamente escolas e alunos sem aula. Depois, com a diminuição do módulo, muitos trabalhadores que se tornariam professores e aguardam ser chamados pelo concurso deixarão de ser. Quem aterroriza os profissionais são pessoas que longe da sala de aula, longe do chão da escola, com suas cabeças de planilha, tomam decisões autoritárias contra a escola pública, seus alunos e trabalhadores. E, quem precisa ter resiliência para seguir na escola pública são seus trabalhadores e alunos, que a despeito de desmandos, prosseguem trabalhando, estudando e lutando.

4. Por fim, termina informando que desde segunda-feira dialoga com professores e que amanhã acontecerão as reuniões com os sindicatos. Tomar as decisões, definir e publicar portarias e, depois, só depois de todo mal estar e agonia gerados, dizer que está ouvindo as pessoas, não é diálogo. É consulta.

5. Não há o que melhorar ou aperfeiçoar na portaria 7663/17. Foi um grave ataque a escola pública e a seus alunos. É preciso humildade e sabedoria para reconhecer quando se erra.

Outras notícias